Museu Nacional - UFRJ

Acrocomia aculeata

 

 foto Acrocomia Aculeata     

Nome científico: Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd.

Família: Arecaceae

Nomes populares: bocaiúva, coco-baboso, coco-de-catarro, coco-de-espinho, macacauba, macaiba, macaibeira, macajuba, macaúba, macaúva, mucaia, mucajá, mucajaba

Origem: Florestas tropicais Distribuição geográfica no Brasil: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, sendo amplamente espalhada pelas áreas de Cerrado.

Altura média: 15-20 m

Características morfológicas: A região dos nós é coberta de espinhos escuros, pontiagudos com cerca de 10 cm de comprimento. Frequentemente, o estipe é coberto pelas bases dos pecíolos, que permanecem aderidas a este por muitos anos. As folhas verdes, ordenadas em diferentes planos dando um aspecto plumoso à copa, são pinadas apresentando aproximadamente 130 folíolos de cada lado e espinhos na região central. As inflorescências são amarelas e os cachos de frutos de tom marrom-amarelado. A inflorescência é pendente, protegida por espata de acúleos castanhos. As flores de coloração amarelo-claro são unissexuais e ambos os sexos aparecem numa mesma inflorescência. As flores femininas nascem na base da inflorescência e as masculinas no topo. Os frutos são esféricos ou ligeiramente achatados, em forma de drupa globosa com diâmetro variando de 2,5 a 5,0 cm. O epicarpo rompe-se facilmente quando maduro. O mesocarpo é fibroso, mucilaginoso, de coloração amarelo ou esbranquiçado, comestível. O endocarpo é fortemente aderido à polpa (mesocarpo), com parede óssea enegrecida e a amêndoa oleaginosa e revestida de uma fina camada de tegumento. Cada fruto contém, geralmente, uma semente envolvida por endocarpo duro e escuro com aproximadamente 3 mm de espessura.

Cultivo: Suas sementes são de difícil germinação, podendo levar até anos, porém sementes velhas arrancadas do solo sob a planta podem apresentar rápida germinação.

Período de florescimento e frutificação: A frutificação ocorre durante todo o ano e os frutos amadurecem, principalmente, entre setembro e janeiro.

Utilidades econômicas: O estipe é empregado em construções rústicas e as folhas, além de forrageiras, fornecem fibras têxteis para confecção de redes e linhas de pescar. A polpa e a amêndoa podem ser consumidas in natura ou como sorvetes, bolos, paçoca doce e cocada. A polpa é classificada como rica em cobre, zinco e potássio. A semente fornece óleo comestível de boa qualidade também para a fabricação de sabões. Devido ao seu valor ornamental, pode ser empregada no paisagismo em geral.

Características interessantes: No passado, ela ocorria em abundância em São Paulo, mas as populações naturais foram sistematicamente substituídas pelo cultivo do café.

Observações: Os principais polinizadores são coleópteros das famílias Curculionidae, Nitidulidae e Escarabaeidae.

No horto: Existem vários indivíduos, alguns bem antigos.

 

 

Voltar ao Topo


Localização

Quinta da Boa Vista, São Cristóvão

Rio de Janeiro - RJ

CEP: 20940-040

(Veja no Google)

Expediente

As exposições do Museu

estão abertas de terça-feira a domingo.

Clique abaixo para detalhes do horário.

(Ver horários)

Contato

Informações: museu@mn.ufrj.br

Direção: falecomdiretor@mn.ufrj.br

Assessoria de Imprensa: imprensa@mn.ufrj.br

Visitas em Grupo: agendamento.nap@mn.ufrj.br

Copyright © Museu Nacional/UFRJ

WEBDESIGNER: Jenyfer Lima