Museu Nacional - UFRJ

Roystonea oleraceae 



 Fotos Roystonea Oleraceae     

Nome científico: Roystonea oleraceae (Jacq.) O.F. Cook

Família: Arecaceae

Nomes populares: palmeira-imperial

Origem: Caribe, norte da Venezuela e nordeste da Colômbia

Altura média: 30m

Características morfológicas: Tronco liso, de cor esbranquiçada, mais largo em sua base. Entre o termino do tronco e a parte onde nascem as folhas, há uma seção verde, mais grossa. Dentro desta seção encontra-se um palmito de mais de 2m de comprimento. Folhas de 4,6-5,6 m de comprimento, distribuem-se acima do palmito em número de 16 a 22 por coroa, e voltam-se para o ápice da palmeira, ou pendem horizontalmente. Cada folha é composta por numerosos e estreitos folíolos, que chegam a medir 65-94 cm de comprimento por 3-5 cm de largura cada. Flores brancas e pequenas, reunidas em cachos distribuídos abaixo do palmito, e cuja haste central mede cerca de 1,5m de comprimento e a haste de sustentação 46-53 cm de comprimento. Fruto elíptico, de 1-2 cm de comprimento, arroxeado, dotado de fina casca, polpa carnuda e uma única semente. Semente elíptica, de cor verde-amarelada.

Cultivo: Multiplica-se por sementes que germinam em cerca de 70 dias.

Período de florescimento e frutificação: Florescimento no período primavera e frutifica no verão.

Utilidades econômicas: Árvore de grande efeito paisagístico; é símbolo aristocrático na literatura nacional.

Característica interessantes: No Brasil, primeiro indivíduo foi plantado pelo Príncipe Regente Dom João VI, depois Rei, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

No horto: Existem nove indivíduos.

 


 

Voltar ao Topo