Museu Nacional - UFRJ

Arthocarpus heterophyllus

  

arthocarpus

 

Nome científico: Arthocarpus heterophyllus Lam.

Família: Moraceae

Nomes populares: Jaqueira

Origem: Índia 

Altura média: 8-25m

Características morfológicas: Folhas de 15-25cm de comprimento por 10-12cm de largura, coloração verde-escura, brilhantes; inflorescências carnudas afixadas no tronco por curtas hastes; flores masculinas e flores femininas localizam-se em inflorescências distintas; a infrutescência é formada pela reunião de centenas de ovários de flores femininas, cada uma delas portadora de uma única semente; sementes ovais, castanho-clara de 2-3cm de comprimento, envolta por uma membrana fina e viscosa. 

Cultivo: Adaptada a regiões quentes e úmidas, de clima tropical úmido, bem como também se desenvolve em regiões de clima subtropical e semi-árido desde que haja a utilização da irrigação artificial. Necessita de um solo rico, com húmus fresco e que seja bem drenado. Se propagada a partir de sementes, que podem ser mantidas até um mês antes do plantio, germina em 3-8 semanas. Após o aparecimento de quatro folhas ou mais, a muda já pode ser movida para o solo fixo. 

Período de florescimento e frutificação: Os frutos iniciam a maturação a partir de outubro podendo ir até abril.

Utilidades econômicas: A árvore é frutífera, sua madeira é bonita, amarelada, resistente à água e aproveitada para o fabrico de peças para embarcações. Da casca dos galhos pode-se fazer cordas muito flexíveis e resistentes. Os frutos, ricos em açúcar, são consumidos “in natura”, contudo são freqüentemente transformados em doces e geléias caseiras. Na Índia a polpa é fermentada e transformada num tipo de aguardente. As sementes, ricas em amido, também podem ser consumidas depois de assadas ou cozidas, possuindo sabor semelhante a castanha européia e sendo inclusive consideradas ligeiramente afrodisíacas. 

Propriedades medicinais: Utilizada contra diarréia e altamente expectorante.

Características interessantes: Sua ampla disseminação constitui um problema ambiental, pois vem substituindo as espécies nativas da mata tropical, portanto é inadequada para uso em reflorestamento por tornar-se invasora. As flores são polinizadas por pequenos insetos

No Horto: Existem 6 indivíduos. Começou a florescer em maio e logo em seguida as infrutescências formaram-se.

 

 

 

Voltar ao Topo


Localização

Quinta da Boa Vista, São Cristóvão

Rio de Janeiro - RJ

CEP: 20940-040

(Veja no Google)

Expediente

As exposições do Museu

estão abertas de terça-feira a domingo.

Clique abaixo para detalhes do horário.

(Ver horários)

Contato

Informações: museu@mn.ufrj.br

Direção: falecomdiretor@mn.ufrj.br

Assessoria de Imprensa: imprensa@mn.ufrj.br

Visitas em Grupo: agendamento.nap@mn.ufrj.br

Copyright © Museu Nacional/UFRJ

WEBDESIGNER: Jenyfer Lima